Vasco tem dez dias para resolver dívida que envolve CT


A semana passada foi ótima para o vascaíno, tivemos patrocínio da Konami e se não fosse a CBF, teríamos ganhado do líder da competição fora de casa. Acho que a única parte ruim, é a treta que envolve o tal CT do Vasco. 

Para quem não sabe, o cruzmaltino tinha contrato até abril de 2020 com Evandro Ferreira (dono do espaço), que pela dívida exige que o local seja entregue em dezembro deste ano.

Aí ele (Evandro Ferreira) voltou atrás (no acordo). Disse que queria ficar até dezembro só. Em janeiro tem o Carioca. Ele tem sido irredutível. Culminou nessa última declaração e numa notificação, pedindo o que deve sob pena de despejo. Então, vamos para a Justiça. Tem uma discussão também referente à multa. Tem esse tempo em que o CT não foi utilizado para descontar. O ideal seria tentar fechar um acordo para tentar ficar até abril ou março do ano que vem.

Bruno Barata, diretor jurídico do Vasco

Ainda segundo Bruno Barata, o presidente do Vasco tinha se reunido com o empresário para chegar num acordo para sair antes do prazo, mas não em dezembro. Porque na semana passada, o Vasco já tinha quitado dois meses. Além disso, o clube também reclama sobre parte do valor em aberto devido ao tempo em que o CT ficou fechado por 50 dias por falta de avará.

Ele não tinha de ter alvará. O Vasco tentou resolver, mas precisava dele. Levou mais tempo que o necessário. Temos tido essa discussão com ele. Isso tem de entrar numa negociação. Estava caminhando que íamos devolver o CT antes do fim do contrato, até abril do ano que vem, e faríamos um aditamento ao contrato neste sentido. Teve reunião do Campello com o Evandro, estava tudo certo.

E aí começaram os problemas, porque ele começou a dificultar. O auge disso foi quando teve aquela interdição, que a Prefeitura interditou o CT, ficou quase dois meses fechado. E para liberar dependíamos de alguns documentos e da iniciativa do Evandro. Ele aproveitou isso aí para criar dificuldade, um acordo. O CT ficou mais tempo fechado do que deveria porque o Evandro dificultou o acesso aos documentos.

O empresário cobra do Vasco R$450 mil, que possui um prazo de 10 dias para resolver essa situação. 

Nenhum comentário

Vascaínos na Web. Tecnologia do Blogger.