Vasco tenta evitar punição por causa de Thales Magno


Tem muito se falado sobre a presença de Thales Magno no clássico do próximo sábado. Peça essencial do Vasco, ainda se é dúvida se realmente poderá jogar. O cruzmaltino tem feito o possível para poder usar o jogador sem ser punido pela CBF.

Mas você me pergunta, de que punição se trata?

Talvez o Artigo 207 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

Ordenar ao atleta que não atenda à requisição ou convocação feita por entidade de administração de desporto, para competição oficial ou amistosa, ou que se omita, de qualquer modo.

Em matéria publicada no site Uol, é dito que se um clube for punido pode pagar uma multa que vai de R$100 a R$100 mil. Mas ao mesmo tempo no conforta com as falas do advogado  Bruno Castello Branco:

Entendo que o Vasco pode escalar o atleta, uma vez que a Fifa, por meio do Regulamento sobre Status e Transferência de Jogadores, reproduzido pelo Regulamento Geral de Competições da CBF, prevê que a obrigatoriedade de cessão se dá apenas nas datas Fifa ou em caso de competições internacionais como, por exemplo, Copa do Mundo e Copa das Confederações.

Já o advogado Carlos Eduardo Ambiel diz que não há problema em escalar o jogador:

O Regulamento Geral, que rege a relação entre CBF e clubes, repetindo uma determinação da própria Fifa, somente obriga a liberação dos atletas para a seleção brasileira em datas Fifa e nas fases finais de competições oficiais, do calendário internacional. Portanto, como se trata de um simples amistoso, fora das datas Fifa, não há essa obrigação de liberação. Por fim, mesmo que se entenda pela existência de alguma irregularidade, não faz sentido punir o clube.

Mesmo diante disso, o Vasco procura eliminar todos os problemas para não ser mais punido do que já é nesse campeonato pela arbitragem. Só o fato de não liberarem o jogador, já demonstra que a instituição não está nem aí para o nosso clube. Veremos se realmente seremos punidos ou se realmente Thales vai poder entrar em campo no sábado.

Nenhum comentário

Vascaínos na Web. Tecnologia do Blogger.